Calcard


Notícias

Como funciona: Crédito Rotativo e Parcelamento de Fatura

28/07/2017

O uso do cartão de crédito já está incorporado na rotina financeira da maioria das pessoas, sendo um aliado importante até mesmo do planejamento familiar. Em muitos caso a opção também é por economia, para garantir descontos e parcelamentos diferenciados nas compras em diversos estabelecimentos. Mas quem usa o cartão, mesmo que respeitando o seu orçamento pessoal, pode estar sujeito a emergências que gerem um valor de fatura muito acima do esperado.

Neste caso, até pouco tempo atrás, a alternativa seria recorrer ao pagamento mínimo da fatura, o acabava sendo prejudicial por conta dos juros cobrados. Nunca foi a melhor saída, mas em função do descontrole no uso do cartão, seja por qual razão for, era a solução mais imediata. Com o parcelamento do saldo devedor programado para a próxima fatura, a tendência era torná-lo um poço sem fundo, em virtude dos juros, com valores de parcelas cada vez mais fora do orçamento.

Mas desde o dia 3 de abril de 2017, a regra do pagamento mínimo mudou e com o crédito rotativo, os usuários de cartão de crédito passaram a ter a possibilidade de parcelar a fatura devida em condições mais favoráveis. Basicamente, a nova regra, como a CALCARD destacou no infográfico sobre o tema, trouxe três benefícios para precisa recorrer ao parcelamento: – Juros menores – Parcelas fixas – Maior controle financeiro

Vantagens do crédito rotativo

O bom do cartão de crédito é usá-lo dentro do orçamento, sempre lembrando que ter um sempre a mão não quer dizer que você tem um dinheiro extra para gastar. Com a nova regra do crédito rotativo, pelo menos se você precisar recorrer a ele ainda assim poderá ter controle financeiro das contas. Os juros, além de menores, são fixos nas parcelas, o que é uma ótima notícia para quem quer retomar a rotina de pagamento total da fatura o quanto antes.

No crédito rotativo, a diferença entre o valor total da fatura e o valor pago será acrescida de juros, somados ao valor total da fatura do mês seguinte. A partir da nova regra estabelecida em abril deste ano, o saldo devedor só poderá ser mantido em crédito rotativo pelo prazo de 30 dias. Do segundo mês em diante, se você voltar a recorrer ao não-pagamento do valor total da fatura, ocorre uma mudança. Automaticamente o saldo restante será financiado em 12 parcelas fixas, com juros de 14,99% ao mês, sempre que você fizer um pagamento menor que o valor mínimo da fatura.

A nova regra tornou o processo muito mais ágil. Não há necessidade de assinar qualquer tipo de contrato para adesão a este financiamento. É feito de forma automática, podendo ser consultado pelo usuário pelos canais de atendimento da administradora do cartão de crédito e, no caso da CALCARD, também pelo aplicativo (Meu Calcard).

Opção do parcelamento da fatura

Caso você não queira usar o financiamento automático, a primeira opção é pagar o total da fatura. A segunda é contratar o parcelamento da fatura. Neste caso, o recomendado é que você pague sempre no vencimento para que possa saber o valor exato que pagará e assim ter controle sobre suas contas. Fora da data de vencimento, você paga juros e perde outra vez o controle das contas.

Ao optar pelo parcelamento da fatura, você poderá parcelar o valor total em até 24 vezes e com taxas de juros menores. Por isso, é importante você avaliar para saber se esta não é a melhor opção para o seu caso. A vantagem é ter tudo já pré-definido na contratação do parcelamento. Você saberá o valor que pagará e por quanto tempo. Lembra como era antes da nova regra? Era praticamente impossível saber valores nem quando o débito seria quitado. E no caso dos clientes da CALCARD, no momento de contratar o parcelamento são apresentadas seis opções, o que aumenta as chances de você escolher o que seja de fato o mais indicado para o seu bolso.

Quer saber mais sobre Crédito Rotativo e Parcelamento de Fatura? Entre em contato com a CALCARD.

Veja também

Newsletter

Receba novidades da Calcard em seu email